Operação “Na crista da micro-onda” (sim, o grupo de escrita reuniu-se outra vez…)

  

Ontem o grupo Polícia Bom, Polícia Mau reuniu-se outra vez. Desta vez o local da sessão manteve-se e fomos novamente parar ao Cinema São Jorge, embora se tivesse discutido letras e não filmes.

Os detalhes sobre o nosso meeting mensal aqui.

Anúncios

Elsa Leal| Página de autora no Goodreads

goodreadsDepois do Smashwords, eis que os dois contos publicados podem ser encontrados no site Goodreads.

Já uso esta plataforma há anos, mas apenas enquanto leitora. Agora passo a contar com ela para divulgar também os meus trabalhos.

Podem encontrar-me por lá nesta página.

Boas leituras! 🙂

Elsa Leal no Smashwords :)

Pois é, ao fim de algum tempo sem publicar nada (o que não quer dizer que não ande a escrever nos entretantos), eis que lá me resolvi a ver como isto se fazia e decidi disponibilizar um dos meus contos em formato e-book para download gratuito.

O conto está armazenado na plataforma Smashwords, uma ferramenta preciosa para quem quer auto-publicar-se (já agora, fica a dica) e é possível descarregá-lo em vários formatos, o que permite a sua leitura em vários dispositivos.

Podem visitar a minha página oficial aqui.

…e pronto, já é segunda-feira outra vez!

cansadoSim, é verdade verdadinha – o fim-de-semana passou a voar à velocidade da luz e hoje já é segunda-feira.

Normalmente não tenho aquele stress de domingo à noite. O que tenho mesmo é sono à segunda de manhã.

Hoje não foi excepção e foi com o cérebro a ressonar enquanto o corpo funcionava em piloto automático que me levantei e comecei o rome-rome semanal.

Mas isto para vos dizer que a minha semana passada foi tão cheia de coisas e compromissos que nem tive muito tempo disponível para vir actualizar o blog.

Este fim-de-semana houve a reunião mensal com o grupo da oficina de escrita, por isso na semana passada houve necessidade de dar ao dedo. Foram 3 dias a escrever um texto, completamente insano, fora do tom mais sombrio que me tem sido habitual adoptar nos últimos trabalhos, mas que me deu imenso prazer. Esse prazer foi por duas razões: a primeira porque me distraiu da tarefa secante que é fazer o inventário (a outra das razões pelas quais não consegui cá vir actualizar nada…boriiiiinnnnng!!!); a segunda porque chorei a rir a pensar que, quem lesse o texto, iria ficar boquiaberto por não acreditar que eu tivesse realmente perdido tempo a escrever uma coisa daquelas.

À parte da qualidade literária ser um pouco discutível neste caso – algo de que tenho plena consciência – no fundo, o mais importante foi ter conseguido divertir-me a fazê-lo. Não só me ajudou numa quebra na rotina, como me conseguiu pôr a rir da minha própria insanidade.

(Prometo rever aquilo com carinho e depois depositar na secção dedicada às minhas escritas…)

Outra coisa que me manteve ocupada aos serões (para além das leituras habituais em semana pré-oficina) foi ter andado a fazer playlists. E para quê, perguntam vocês? Ou não. Mas eu respondo na mesma, eh eh 😀
Pois que, devido a uma recente mudança de ginásio, uma das minhas actividades de grupo favoritas – o Cycling – ali é a coisa mais entediante à face da Terra e nas galáxias mais além!

Entenda-se, eu gosto imenso de tudo o resto. A energia das outras aulas é impecável, os instrutores são muito fixes, as condições são boas…mas eu gosto de fazer aquela actividade. E ali a coisa simplesmente não dá… Nunca em mais de 2 anos de prática de exercício olhei para o relógio, em desespero pelo fim de uma aula e ali, naquelas em específico eis que dou comigo completamente aborrecida. A falta de estímulo é brutal. A música é chata, não me desafia a pensar….aaaaaargh, p’lo amor da santa!!! 😦

Portanto, como só me falta ter a formação oficial para poder dar aulas, mas tenho dois anos de prática intensiva nas pernas e nos ouvidos, com excelentes instrutores, que sempre aliaram a parte lúdica à pedagógica, reuni as minhas ferramentas de trabalho essenciais: cérebro, ouvidos, pernas, smartphone e o maravilhoso mundo da www.

Playlists criadas, houve que experimentá-las e só posso dizer que o resultado foi brutal. O meu ar de felicidade em plena sala de máquinas a pedalar ao som que só eu conseguia ouvir deve ser sido impagável. Isso e uma hora de senta-levanta-senta-levanta que me deixou a suar ao lado de malta que foi pedalar como se estivesse a passear no campo. Só me faltou cantar alto. Caramba, que figurinha! 😀
Mas isto tudo para dizer que, uma vez mais me diverti imenso! E foi bom voltar a sentir isso.

Assim sendo, a mensagem que quero passar com este artigo, que parecia não ter sentido nenhum, é esta: não vale a pena fazermos coisas que supostamente serão hobbies [e que, portanto, fazemos por prazer] em esforço. Quando assim é, deixa de ser um passatempo, algo que nos faz felizes, para passar a ser mais uma imposição. O nosso tempo é demasiado precioso para isso.

Portanto, se não estão a tirar prazer e/ou partido das situações, então façam uma pausa e venham à tona respirar. Equacionem mudanças. Invistam em mudar o que não vos faz sentir bem, mas não fiquem parados. A única certeza que temos nesta vida é que nada é certo e tudo pode mudar a qualquer momento.

Insistam no que vos faz [realmente] felizes. Boa semana!

Quanto a mim, vou preparar a review de um filme e de um livro para vos deixar por cá nos próximos dias 😉

bye bye 2014 … hello 2015!

2015

Existem viagens que são impossíveis de descrever para quem não as faz. Por isso será sempre impossível que outro alguém consiga compreender verdadeiramente o que se passa dentro de nós ou nas nossas vidas.

Não sou diferente de ninguém e faço os meus balanços todos os finais de ano – o que fiz para alcançar os meus objectivos, quais os que alcancei, que projectos ficaram pelo caminho, que pessoas vieram ao meu encontro e que guardo como tesouros, com o que aprendi (ou com quem) algo de valor… – e depois faço novos planos para 2015.

Talvez por isso nestas últimas semanas tenha andado um pouco mais parada em matéria de publicações – estes últimos dias de Dezembro, com todas as reuniões familiares, festividades e tudo o que isso implica, fazem-me recolher um pouco mais deste mundo virtual. Mas não quis deixar o ano terminar sem aqui vir deixar os meus votos para 2015.

Assim, o que aqui vos deixo de mim é a minha gratidão – por estarem desse lado, por lerem as minhas deambulações, os meus desabafos, as minhas parvoíces. Para 2015 desejo que por cá continue quem tiver que continuar e que possamos crescer todos um pouco mais como Pessoas (sim, com P grande). Desejo que se ame mais, que se abram mentes e que se toquem corações.

Definitivamente, 2014 foi uma montanha-russa, daquelas com direito a vertigens e tudo, mas foi uma viagem do caraças! Agora está na altura de entrar em 2015, às cegas, mas com fé.

Quem quiser embarcar comigo, vá pensando em subir a bordo. Palpita-me que vai ser mais uma viagem emocionante… 🙂

[Encontro PBPM | Dezembro 2014] Fechar o ano em beleza, num ambiente que foi a cereja no topo do bolo!

Basta-nos um pé dentro do número 20 da Calçada do Cardeal, em Santa Apolónia, para ver Júlio Verne sentado ao balcão, entre papel, caneta e um cocktail, imaginamos nós. Tudo por aqui se traduz em madeira e ferro, lâmpadas de filamentos, rodas…

Source: www.ionline.pt

Foi no Sábado passado que o grupo PBPM/Trëma se reuniu neste espaço.

Com uma decoração absolutamente fantástica (onde se recomenda vivamente que vá visitar as casas de banho) e um atendimento excepcional, eis que este espaço me apaixonou.

Discutir literatura num ambiente Steampunk foi a cereja no topo do bolo para terminar o ano de trabalho deste grupo em grande!

O espaço funciona também como petiscaria e recomendo vivamente as tibornas. Na minha opinião,há espaço para que a ementa cresça e que vão disponibilizando cada vez mais opções. Acredito que o tempo e os clientes ajudarão a afirmar o talento e a simpatia que por lá encontrámos.

Aproveito ainda este espaço para agradecer publicamente ao Vitor e ao Gonçalo a forma como nos receberam.

Sorte e sucesso é o que vos desejo. Até breve!

Em relação ao encontro propriamente dito, digamos que é sempre útil e produtivo. Estbeleceram-se metas para 2015 e começa a pensar-se no crescimento do grupo – quer a nível de membros, quer a nível de publicação.
Vamos ver o que 2015 nos traz 🙂

Horror Authors: How to Scare the Heck Out of Your Readers

Use sentence structure to evoke feelings of anxiety or fear in your reader.

Source: thewritelife.com

Adoro quando o universo conspira a meu favor e me envia artigos úteis para as coisas que tenho entre mãos.

Para quem conhece o que escrevo, sabe que o faço dentro do Fantástico/Paranormal. Mas dou comigo a gostar de escrever num tom cada vez mais sombrio, sem cenários luminosos nem finais cor-de-rosa. Mas, como em tudo, é necessário perceber que técnicas empregar de forma a prender os leitores.

Este artigo, para além de ser bastante claro, é também conciso. Nada de floreados e com exemplos práticos em quantidade suficiente para deixar perceber como empregar as técnicas.

Vou “arquivá-lo” aqui e no blog para não lhe perder o rasto e poder consultá-lo sempre que for necessário. Desconfio que, dentro em breve, me vai fazer falta 🙂

See on Scoop.itReading & Writing World – Tips and suggestions