[RC2015#7] A Vidente de Sevenwaters, de Juliet Marillier (Sevenwaters#5)

Mais um arrumadinho na prateleira. Ler algo relacionado com Sevenwaters é quase como matar saudades daqueles parentes que não se visitam há muito tempo.
Para quem, como eu, acompanha esta saga desde o início, Sevenwaters deixa sempre aquele gostinho especial.

Arrumados na Prateleira

A Vidente de Sevenwaters (Sevenwaters, #5)A Vidente de Sevenwaters by Juliet Marillier

My rating: 4 of 5 stars

Este é o 5º livro da autora acerca da família de Sevenwaters.

Aqui acompanhamos a história de Sibeal, irmã de Clodagh (a protagonista do Herdeiro de Sevenwaters, o livro anterior a este).
Desde os 12 anos que Sibeal foi chamada pelos deuses para servi-los com a sua vocação de vidente. O seu tio Ciarán – agora um druída, após a morte de Niamh e a partida da sua filha Fainne para a Needle – é o seu mestre e envia-a para Inis Eala, a ilha onde Johnny (filho de Bran e Liadan), é chefe e onde habitam as suas irmãs.
É suposto ser um verão tranquilo, antes de Sibeal fazer os votos que a tornarão numa druidesa. Mas poucos dias depois da sua chegada à ilha, eis que uma estranha tempestade faz com que um barco naufrague…

View original post mais 201 palavras

[RC2015#6] Pagan Stone, de Nora Roberts (Blood Brothers#3)

E pronto, lá consegui recuperar a média e, nada mau para quem não andava a conseguir ler nada de jeito…
Venham os próximos!

Arrumados na Prateleira

The Pagan Stone (Sign of Seven, #3)The Pagan Stone by Nora Roberts

My rating: 4 of 5 stars

E pronto, eis que chego ao fim da triologia.

Gosto da sensação de chegar ao fim com este gostinho amargo na boca.
É bom sinal. Porque, depois de 3 livros a acompanhar as peripécias deste grupo de 6 amigos, num ritmo lento, detalhado mas nada aborrecido, quase sentimos que fazemos parte daquele dia-a-dia. Por isso, chegar ao fim da história representa um amargo de boca – é quase como a despedida de um grupo de amigos de quem aprendemos a gostar.

Portanto, thumbs up, a autora está novamente de parabéns!

Conseguiu não entrar em clichés, conseguiu integrar os fenómenos paranormais na realidade de uma cidade pequena dos EUA, e neste último livro, conseguiu construir um par romântico fiel às personalidades que desenvolveu ao longo dos dois volumes anteriores.

Sobretudo, o que passei o tempo a pensar foi «mas…

View original post mais 45 palavras

[RC2015#5] The Hollow, Nora Roberts (Sign of Seven#2)

Mais um arrumadinho na prateleira. Estamos a dia 30 e vou a meio do 3º volume desta triologia.
Será que consigo recuperar o ligeiro atraso e cumprir a meta dos dois livros por mês?

Arrumados na Prateleira

The Hollow (Sign of Seven, #2)The Hollow by Nora Roberts

My rating: 4 of 5 stars

Esta é a continuação do volume anterior (Blood Brothers). Nesta segunda parte da história encontramos novamente os seis amigos a dar continuidade ao desvendar do mistério em torno do estranho fenómeno que assombra Hawkins Hollow a cada sete anos e de que forma estão relacionados com isso.
Os diários de Ann Hawkins dão uma ajuda e as suas próprias investigações vão dando outras luzes.
Quinn e Cale tinham assumido o papel de par romântico na história anterior e aqui é a vez de Layla e Fox se entenderem.

Eu sei que no fim há sempre uma história de amor por trás disto, mas o que continuo a gostar nesta autora é que isso não se sobrepõe ao resto.
As teorias que vão surgindo por vezes também conseguem ser surpreendentes e/ou menos óbvias, perante os acontecimentos com que o leitor…

View original post mais 139 palavras

[RC2015#4] Blood Brothers, Nora Roberts (Sign of Seven#1)

Mais um arrumadinho na prateleira e já vou no 2º volume. Gosto muito desta autora e das suas triologias 🙂 e não quero saber se me chamam lamechas…

Arrumados na Prateleira

Blood Brothers (Sign of Seven, #1)Blood Brothers by Nora Roberts

My rating: 4 of 5 stars

Para mim, ler Nora Roberts é um prazer. A autora consegue juntar elementos de fantasia e sobrenatural com romance, tudo isto em pequenas doses, sem ser lamechas.
Gosto particularmente de ler as suas triologias. Esta não está a ser excepção.

Blood Brothers é o 1º volume e introduz-nos ao contexto da história de Hawkins Hollow e dos seus habitantes, através dos 3 protagonistas masculinos – Caleb, Fox e Gage.
Começa na década de 80, na noite em que os 3 amigos fazem 10 anos e, através de um juramento de sangue, despertam forças há muito adormecidas naquele território.

Encontramos depois os protagonistas quase 21 anos depois e ficamos a perceber as consequências daquela noite, tanto para eles, como para a cidade que, de 7 em 7 anos, durante uma semana é acometida por uma onda de acontecimentos violentos, dos…

View original post mais 198 palavras

[Crónicas] Segue a seta em luzes de néon

Reflexão para o fim-de-semana 🙂

É sempre um “acaso” feliz quando encontramos algo que nos bate no olho.

Riscos & Rabiscos

dream bigNuma altura em que o mundo parece ter ficado louco, é bom ver algo que nos inspira. Foi o que esta imagem fez hoje comigo.

Segue os teus sonhos, diz.

E houve ali alguma coisa que me ficou a fazer pensar… No fundo, é o que tenho estado a fazer. A desconstruir-me e a recolher os pedaços para escolher um novo formato.

É bom quando a vida nos dá novas oportunidades. Quando damos pelas setas que indicam o caminho. Quando aprendemos a desligar o som do mundo lá fora e a ouvir mais o que nos vai cá dentro na alma.

Sim, o mundo seria um lugar melhor se em vez de se viver de e para as aparências, todos fossem honestos consigo próprios. Caras felizes, semblantes felizes, corações generosos precisam-se! Basta de bombardear o próximo com as nossas frustrações. Há que ter a coragem de perceber o que…

View original post mais 42 palavras

[RC2015#3] O Braço esquerdo de Deus, Paul Hoffman

Bom, estamos a entrar em Março e terminei o 3º livro. Só estou um livrinho atrás do que era suposto, vá…podia ser pior.
Basicamente, foi uma boa descoberta. E definitivamente quero comprar o resto da triologia, porque vale bem a pena descobrir o que irá acontecer em seguida.
Adoro estas narrativas cruas, sem subterfígios cor-de-rosa e até, por vezes, bastante cruéis. Adoro estes personagens que não são propriamente os bons da fita ou cheios de virtudes. Adoro tudo o que ponha em causa valores padronizados e, ainda assim, haver emoções ao barulho.
Paul Hoffman supreendeu-me pela positiva, numa altura em que precisava de um “abanão” literário. Definitivamente, recomendo!

Arrumados na Prateleira

O Braço Esquerdo de Deus (Thomas Cale, #1)O Braço Esquerdo de Deus by Paul Hoffman

My rating: 5 of 5 stars

Estava a precisar de um livro que me prendesse desde as primeiras páginas e este conseguiu-o.
Ainda não tinha lido nada deste autor e tinha o livro em standby há muito tempo, ali a gritar pelo meu nome 🙂 Ainda bem que lhe peguei.
Sim, é certo que existem ali algumas coisas que me fazem confusão, porém nada disso se sobrepõe ao enredo e à forma brutal com que somos apresentados ao mundo em que Thomas Cale foi criado.

Parte de uma triologia, este é o 1º volume. O mundo que nos é apresentado é de uma brutalidade frontal e extraordinariamente fácil de visualizar.
A escrita de Hoffman é daquelas que fica impressa na mente desde o 1º parágrafo e, a prova disso, foi a relativa rapidez com que consegui terminar de ler o livro.

Thomas…

View original post mais 286 palavras

[Hora do chá] Bolo de abóbora e mel

Domingo foi dia de Aventuras Culinárias!
A receita já foi partilhada e está arrumadinha lá na página do costume.

Aventuras Culinárias

Este fim de semana foi de aventuras culinárias! Depois de ter ficado com o sabor adocicado do pão de abóbora na mente, com planos para experimentar a versão bolo, lá pus as mãos na massa e fui para a cozinha 🙂

O resultado foi este:

bolo_abobora1

Assim sendo, como foi bastante satisfatório (e, a pedido de várias famílias) aqui fica a receita.

INGREDIENTES:

  • 1 chávena de farinha de arroz
  • 2 ovos
  • 4 cs de mel
  • 1 cc de bicabornato de sódio
  • 1 cc de fermento para bolos
  • 1 cs de canela
  • 1 cc de erva doce
  • 1 chávena de abóbora cozida
  • 1 pitada de sal
  • 1/4 de chávena de azeite
  • 1 maçã

PREPARAÇÃO:

Nem sei o que dizer do grau de dificuldade disto… 🙂  Comecei por colocar a abóbora a cozer ao lume num tacho. Enquanto isso, numa tigela misturei a farinha, o bicarbonato, a canela, a erva-doce e a pitada…

View original post mais 354 palavras